[Revista Digital]Ser um profissional de Secretariado Executivo | Betânia Sousa | Executiva News Revista Digital

[Revista Digital]Ser um profissional de Secretariado Executivo | Betânia Sousa

Ser um profissional de Secretariado Executivo significa muita dedicação e aperfeiçoamento das técnicas de trabalho, a fim de garantir o desenvolvimento das atividades com excelência. Muita gente tem a concepção de ser um bom profissional, mas será que sua realidade é condizente com sua postura? Pois em muitos casos ocorre o contrário. Atualmente, o mercado espera que as pessoas sejam além de um simples profissional, por isso não basta ser mais um, é preciso apresentar um diferencial, pois todos os dias chegam novos talentos no mercado. E você, como fica? Ao longo da vida, podemos observar que ninguém é insubstituível: qualquer um dos colegas de trabalho podem realizar as mesmas tarefas rotineiras que realizamos, pode mudar a forma ou o jeito como elas são executadas, mas podem perfeitamente realizá-las. Diante disso, é pertinente o questionamento se queremos ser mais um profissional apenas ou se queremos ser o melhor profissional que a empresa pode ter.

A professora Stece Bess, personagem do filme “Além da sala de aula”, ilustra um exemplo perfeito de ser profissional além do que é esperado. Sem nenhum suporte do seu gestor e em um ambiente inadequado para lecionar, pois faltava estrutura física e material, ela não estava preparada para a situação que teve que enfrentar; no entanto, sua postura de não aceitar a aquela realidade fez o diferencial na sua vida como profissional da Educação e, principalmente, das pessoas que faziam parte do contexto. Ela tomou para si a responsabilidade de transformar o lugar e a vida das pessoas em sua volta. Além de extrapolar á prática de ser apenas uma simples profissional, colocou-se no mesmo contexto de seus alunos e familiares, transcendendo as funções pedagógicas.

E você, no lugar da personagem, faria o que? Muitos, por inúmeras razões, poderiam simplesmente desistir, mas ela fez o diferencial. Por isso a importância de uma reflexão mais profunda sobre que tipo de profissional queremos ser, um profissional acomodado que faz apenas o que é de sua competência. Creio que muitos já escutaram a frase “Essa atribuição não me compete”. Neste caso, para quem já escutou esta afirmação, a lei do silêncio é valiosíssima: a resposta que se pode dar é mostrar resultado através do seu trabalho.

Sabemos que cada um tem suas limitações, mas também não é justo poder ajudar e não fazer apenas por conveniência ou por não ser de sua competência, pois tudo que desenvolvemos tem uma certa importância para a empresa, só que algumas pessoas não gostam, não sabem ou não desejam aprender e acabam encontrando uma desculpa. Digamos que em uma sala com inúmeros profissionais de sucesso há apenas uma vaga. Qual é o seu diferencial hoje para ser efetivado? É importante sermos honestos quando nos autoavaliamos. Sabe-se da importância de sermos produtivos no meio empresarial, e o melhor resultado é aquele visível em equipe, pois nenhuma grande conquista é resultado de um trabalho solo. Há muitas pessoas envolvidas no processo, e realizar as tarefas com presteza e qualidade é o mínimo que esperam de nós, além de sempre termos compensações pelas atividades desenvolvidas. Seja através de salários ou reconhecimento, sempre ganhamos.

Betânia Sousa
Bacharel em Secretariado Executivo Bilíngue
pela FAJESU.
Mestranda em Educação pela Universidad Internacional
Iberoamericana.
Coordenadora do grupo de estudo do Comitê
de Secretariado do DF.
Atualmente, atuo como Secretária Executiva
no Executivo Federal.

%d blogueiros gostam disto: