[Revista Digital] RELACIONAMENTO INTERPESSOAL | Ingrid Rabelo | Secretariado

No que diz respeito ao Relacionamento Interpessoal, é a convivência que se efetua entre duas ou mais pessoas para se adquirir amizade. Entende-se que a dificuldade para se aceitar as diferenças entre os seres humanos são de extremo conflito, principalmente no ambiente de trabalho. Ter um convívio sociável, com profissionalismo e ética, é elemento imprescindível para que o grupo ou equipe seja forte e atinja as metas ou as atribuições com eficácia e qualidade.

Para se amenizar os conflitos internos no ambiente de trabalho, é essencial manter o profissional de Psicologia Organizacional, pois, de acordo com o Catálogo Brasileiro de Ocupação (CBO), o Psicólogo do Trabalho é um profissional que exerce atividades no campo da Psicologia aplicada ao trabalho, como recrutamento, seleção, orientação, aconselhamento e treinamento profissional, realizando a identificação e análise das funções, tarefas e ocupações, organizando e aplicando testes e provas, realizando entrevistas, sondagens de aptidões e de capacidade profissional, e no acompanhamento e avaliação de desempenho de pessoal, para assegurar às empresas ou por se dar nas relações laboratoriais, a aquisição de pessoal dotado das habilidades necessárias e, ao indivíduo, maior satisfação no trabalho.

Esse campo permite ao Psicólogo atuar no aperfeiçoamento e melhoria das condições de vida, trabalho e saúde nos diferentes setores da economia. No que se refere ao alto desempenho, os profissionais da criação de ações de Treinamento, Desenvolvimento e Educação (TD&E), no planejamento de gestão de pessoas e na seleção de bem-estar, os Psicólogos podem atuar na criação de programa de qualidade de vida na prevenção de doenças ocupacionais, na formulação de estratégias para melhoria do clima organizacional e da satisfação dos empregados. Além disso, a participação em projetos estratégicos dos diversos setores da organização é essencial para identificar e reduzir possíveis impactos negativos na vida das pessoas, bem como para potencializar efeitos positivos.

Toledo (1986) considera a Psicologia Organizacional como o estudo do fator humano na organização. Este estudo abrange a atração, retenção, treinamento e motivação dos recursos humanos na empresa, assim como criação de condições organizacionais de trabalho que auxiliem na criação de clima propício para que funcionários possam atingir suas metas de trabalho e desenvolvimento profissional. A Psicologia Organizacional, em seu contexto mais amplo, coloca ênfase nos aspectos grupais e organizacionais do trabalho.

Zanelli, Borges Andrade e Bastos (2004), propõem condições adequadas para que os funcionários executem suas atividades, atinjam suas metas e se desenvolvam junto à organização. As cognições nas organizações de trabalho se fazem necessárias para o equilíbrio do grupo no profissionalismo nessa estrutura. Pessoas falam e se comunicam, pensam e raciocinam, tomam decisões, julgam, avaliam e opinam. Dessa forma, no ambiente organizacional, são movimentados percepções, crenças e conceitos diferentes, oriundos de pessoas diferentes. Percebe-se assim a importância que o pensamento, a linguagem, o manejo de símbolos e as regras e conceitos desempenham no contexto organizacional.

A importância da cognição no ambiente de trabalho está no fato do indivíduo responder ou construir por ele mesmo no seu processo de interação social. Cognição envolve pensamentos, avaliações, crenças, expectativas, intenções, percepções e vontades. Refere-se a esse conjunto de atividades através das quais uma informação é tratada ao chegar ao cérebro, ou seja, como ela recebe, como transforma, categoriza e elabora os conhecimentos.

 

CONCLUSÃO

Com essa constatação da existência de tantos esquemas e cognições diferentes, a organização se sustenta em meio a tanta diversidade, já que a mesma requer tarefas que levem a objetivos comuns, e isso pode ocorrer através de treinamentos ou de socialização da cultura. Sabe-se que os membros de uma organização têm interesse em estabelecer significados comuns para que uma ordem social seja possível aos comportamentos previsíveis.

As divergências e as “brigas” internas podem ser resolvidas através de treinamentos e atividades grupais, procurando valorizar a integração e focar a importância de se ter um excelente relacionamento com os membros da equipe. O Gerente também terá que fazer o seu papel, dando apoio nos comentários e fazendo treinamentos com seus colaboradores, evitando, assim, qualquer tipo de atrito que possa ocorrer futuramente no tempo.

Contudo, isso não depende somente do gestor: todos terão que estar envolvidos nesse processo. Os funcionários também têm um papel importante para a construção de um ambiente saudável, pois dependem de suas condutas e atitudes para acabar com problemas desse tipo. É importante ressaltar, diante dos registros e do que foi observado, os aspectos positivos e negativos, tais como a experiência adquirida e o desconforto emocional no ambiente de trabalho. Toda e qualquer prática realizada nos leva ao aprendizado, sendo estes bons ou ruins. Temos que aprender a extrair algo significativo.

Tendo em vista os fatos mencionados, tive a oportunidade de desenvolver atividades do curso de Secretariado Executivo, obtendo experiências de outros ramos profissionais. Estes me levaram a entender que, para manter um clima agradável e sem manifestação de atritos, é necessário que as pessoas deixem de agir de forma individualizada e passem a interagir como uma equipe, promovendo relações amigáveis e fazendo com que cada um procure cooperar com o outro, mas, para isso, é preciso que cada um faça a sua parte, pois se todos não estiverem dispostos a contribuir, não iremos chegar a lugar algum.

 

REFERÊNCIAS

CACHO Educação Executiva – Cursos de Formação de Executivos. Artigo: Relacionamento Interpessoal.

 

COLUNA MMA – Ministério do Meio Ambiente, Brasília, 01 de abril de 2014, site: www.mma.gov.br

 

Instituto Brasileiro de COACHING, entrevista com o Diretor Presidente Sr. José Roberto Marques.

 

RABÊLO, M. Ingrid. Desenvolvimento da Temática do Relacionamento Interpessoal nas Empresas Públicas e Adoção de Medidas para Melhoria da Explanação no Ambiente de Trabalho. Relatório de Estágio Supervisionado II. pág.14 a 16. UCSal/2014. Orientadora Iasnaia Pinheiro. Curso de Secretariado Executivo.

 

LIVRO Escola Viva, Programa de Pesquisa e Apoio Escolar. O Tesouro do Estudante. _1. Edição. São Paulo: Meca, 1998.

 

Ingrid Miranda Rabêlo

MBA em Administração e Negócios Internacionais – UNINTER

Bacharel em Secretariado Executivo – UCSal

Colunista da Revista Executiva News Digital

Contatos: 55.71.98629.2113 (Salvador Bahia)

E-mail: miranda.assessoria89@gmail.com

 

%d blogueiros gostam disto: