[Revista Digital] O Universo das Cores – Parte III | Márcia Lopes

Qual o efeito que a cor que está usando provoca no seu visual?

Ah! Qual seu estilo? Quer potencializá-lo? Amenizá-lo?

Encerrando (por enquanto) nossa trajetória com as cores, segue nosso último capítulo.

Caso você tenha algum assunto que lhe interessa e queira saber mais, terei o maior prazer em ajudá-lo. Faça seus pedidos pelos canais da Executiva News ou pelo meu Instagram.

 

Efeitos e estilos

Os efeitos podem ser:

  • Positivos: suaviza a textura da pele, valoriza traços, aparência saudável, jovialidade, descansado, minimiza imperfeições, suaviza olheiras e marcas de expressão.
  • Negativos: evidencia manchas e sinais de expressão, denuncia sinais de cansaço.
  • Diminuição: tecidos escuros, frios, opacos e com pouco contraste diminuem visualmente a peça.
  • Aumento: os claros, quentes e brilhantes aumentam visualmente as peças.
  • Acessibilidade e casualidade: cores claras, suaves e quentes. Estampas. Contraste baixo.
  • Distância e formalidade: cores escuras, intensas e frias. Cores sólidas. Alto contraste.

 

Já os estilos predominantes em relação às cores e suas tonalidades e combinações são:

  • Clássico: combinações previsíveis, tons escuros, neutros e fáceis de coordenar.
  • Contemporâneo: monocromia, neutros, preto e tons suaves.
  • Esportivo/Casual: cores neutras, terrosas e alegres.
  • Feminino: tons pastéis, suaves e femininos.
  • Sensual: tons intensos, escuros, combinações com alto contraste e metalizados.
  • Moderno: combinações de alto contraste, cores intensas e muito preto.

 

Em geral, as preferências de cor revelam aos outros se a tendência é maior a se concentrar no mundo interior ou no exterior. Sabendo disso, podem-se escolher as cores que vão trazer o tipo de atenção que deseja e transformar a situação social a seu favor.

Por exemplo, as cores fluorescentes chamam a atenção, mas seu uso excessivo pode ser cansativo para os olhos.

Um beijo grande e até a próxima.

Márcia Lopes

  • Formada em Estilo e Imagem Pessoal, Personal Shopper e Coloração Pessoal.
  • Pós-graduada em Interfaces da Moda, pelo SENAI Antoine Skaf.
  • Desenho de Moda, pelo SENAI Antoine Skaf.
  • Membro da Associação Internacional de Consultores de Imagem. Voluntária no Departamento Jurídico.
  • Apresentadora do Programa Papo e Estilo, Canal 15, da NET, SWTV.
  • Advogada e pós-graduada em Direito. Assessora da 20ª Turma do Tribunal de Ética da OAB/SP. Presidente da Comissão de Estudos em Direito da Moda, Mogi das Cruzes-SP.
  • Mais de 20 anos de experiência no mundo corporativo.
  • Experiência acadêmica.

Referências

Ambrose, Gavine Harris, Paul. Dicionário Visual de Design Gráfico. Porto Alegre: Bookman, 2009a

_____________. Cor. Porto Alegre: Bookman, 2009b

_____________. Design básico cor. Tradução de Francisco Araújo da Costa. Porto Alegre: Bookman, 2009c

Barros, Lilian Ried Miller. A cor no processo criativo: um estudo sobre a Bauhaus e a teoria de Goethe. São Paulo: Senac, 2009

Ferreira, Alexandre de Oliveira. Heisenberg e a doutrina das cores de Goethe e Newton. SCIENTIAE studia, São Paulo, v. 13, n.1, p. 175-206, 2015.

Fischer-Mirkin, Toby. O código do vestir: os significados ocultos da roupa feminina. Tradução de Angela Melim. Rio de Janeiro: Rocco, 2001.

Grund, Arlindo. Nada para vestir: aproveito ao máximo ou seu guarda-roupa e arrase em qualquer ocasião. São Paulo: Planeta, 2005

Guimarães, Luciano. As cores na mídia: a informação da cor-informação no jornalismo. São Paulo: Editora Annablume, 2003

_____________. A cor como informação: a construção biofísica, linguística e cultura da simbologia das cores.São Paulo: Editora Annablume, 2001

Heisenberg, Werner.  A doutrina goethiana e newtoniana das cores à luz da física moderna (Conferência proferida em 5 de maio de 1941 na Sociedade para Colaboração Cultural de Budapeste). SCIENTIAE studia, São Paulo, v. 13, n. 1, p. 207-21, 2015.

Heller, Eva. A psicologia das cores: como as cores afetam a emoção e a razão. São paulo: Editora Gustavo Gili, 2013

Munari, Bruno. Design e comunicação visual. Lisboa: edições 70, 2009

Pedrosa, Israel. Da cor à cor inexistente. São Paulo: Editora Senac, 1989.

_____________. O Universo da Cor. Rio de janeiro: Senac Nacional, 2008.

Silva, Nelson da. O desenho de estamparia para roupa de cama: os grandes avanços decorrentes dos processos criativos aliados às novas tecnologias. Universidade de São Paulo, Escola de Artes, Ciências e Humanidades, São Paulo, 2017

Silveira, Luciana Martha. Introdução à teoria da cor. 2. ed. Curitiba: Ed. UTFPR, 2015.

Taleb, Alexandre. Imagem masculina: guia prático do homem contemporâneo. São Paulo: Senac, 2016

Thomazi, Patrícia Thormann. Aplicações educacionais mobile: a teoria das cores no processo de projeto em Design. Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Escola de Engenharia, Programa de Pós-Graduação em Design, Porto Alegre, BR-RS, 2017.

Ulrich, Luciana. Análise de Coloração Pessoal. São Paulo, 2016. Curso oferecido pelo Studio Immagine, à turma de consultores de imagem.

%d blogueiros gostam disto: