[Revista Digital] Em Brasília, são dezenove horas!| Michelle Soares | Executiva News Revista Digital

[Revista Digital] Em Brasília, são dezenove horas!| Michelle Soares |

Você provavelmente já ouviu este bordão do programa “A Hora do Brasil”. Além de servir como hora certa, também é em Brasília que muitas Leis são sancionadas e aprovadas. Mas certamente Brasília não é só isso e tampouco reduto de políticos ou gente que não se cumprimenta. Quem nunca brincou com um brasiliense perguntando: “Mora perto do Presidente?”.

O que era plano, hoje não está mais curvo. As cidades aglomeraram-se e, como ouvi de uma amiga: São Paulo, Nova York e Brasília têm em comum o fato de não morarmos no centro, e sim em seus satélites. Sim, aqui em Brasília, quem não está central está em um satélite – e gosto deste trocadilho.

Quando era adolescente, ouvia muita gente dizendo que aqui não tem nada para fazer. Achava no mínimo curioso, uma cidade, berço do rock nacional, não ter nada para fazer.

Percebi então particularidades de Brasília que fazem muito bem:

  1. Olhar para o céu de brigadeiro. Não que ele seja exatamente de chocolate. Um céu limpo, azul e que, de alguns pontos da cidade, tornam-na mais linda. Nos finais de tarde, sentada, quem sabe no Parque da Cidade, ou à beira do Lago desfrutar de uma boa leitura.
  2. Além da peculiaridade do céu, Brasília também recebeu pela Unesco o título de Patrimônio Cultural da Humanidade.
  3. Possui em suas ruas projetos urbanísticos de Oscar Niemeyer e Lúcio Costa.
  4. Usamos siglas para designar os endereços e compreendemos totalmente, a ponto de ficarmos perdidos em cidades onde as ruas têm nomes.

Mas, o que fazer ao chegar por aqui? Um ponto turístico que amo é a belíssima Catedral Metropolitana de Brasília: 16 arcos, idealizados por Niemeyer, formam uma nave. Lá é possível brincar com a acústica maravilhosa de seu interior.

O Pontão do Lago Sul também encanta seus turistas. Às margens do Lago, com belos jardins e um pôr do sol admirável. O Pontão é um local super agradável. Alguns restaurantes em sua orla permitem apreciar e degustar de um excelente final de semana. Normalmente bem badalado, boas festas também acontecem por lá.

Museu e Biblioteca Nacional, também conhecidos como Conjunto Cultural, ficam em uma área aberta na entrada da Esplanada dos Ministérios.

As quadras 107, 108, 307 e 308 Sul, com azulejos de Athos Bulcão e jardins de Burle Marx, tornam estas quadras uma grande aula de urbanismo a céu aberto.

A Igreja Dom Bosco é outro ícone de Brasília. Situada na Asa Sul, seu exterior é todo em estilo gótico, formado por 80 colunas de 16 metros de altura. Uma dica é ir ao final da tarde, quando o sol entra pelos vitrais, tornando o local deslumbrante.

A Igrejinha situada na 307/308 Sul rouba a cena como um cartão postal. Com seus azulejinhos e simplicidade, abarca um ambiente bem intimista. Um dos primeiros prédios a serem erguidos em Brasília, em 1958, como forma de agradecimento pela cura da filha da ex-primeira-dama Sara Kubitschek.

Vir à Brasília é se encantar com seu povo e com todas as misturas de um Brasil que se encontra por aqui. Se você está curioso por conhecer, venha nos fazer uma visita. Estamos esperando!

Michelle Soares
Secretária Executiva-Universidade de Brasília
Docente Faculdade Projeção
Facebook: Mentoria e Técnicas
de Estudos em Secretariado Executivo
E-mail: michellesoares@bce.unb.br
Cel.: (61) 9-9380-2293

%d blogueiros gostam disto: