Pin It

[Revista Digital] “Do” ou “make”? Eis a questão | Márcia Bonamin

Existem alguns vocábulos em Inglês que possuem a mesma tradução para a Língua Portuguesa, mas têm utilização diferenciada na língua nativa. Esse é o caso de begin e start (começar) finish e end (encerrar, terminar), beautiful e pretty (lindo) e muitas outras. Embora pareçam sinônimos, esses vocábulos não são empregados contextualmente da mesma forma. Para ficar mais claro, vou dar um exemplo em Português: poderíamos dizer que as palavras “belo” e “bonito” são sinônimos, certo? Entretanto, o uso do termo “belo” é bem mais restrito. Dizemos: “um belo sorriso”, “um belo carro”, mas não é usual falar que seu celular ou seu corte de cabelo é “belo”. Motivo? Uso consagrado.

De fato, o uso diferenciado de palavras com o mesmo significado pode estar relacionado ao seu emprego formal ou informal, versão americana ou britânica ou, em grande parte, com o que chamamos de “colocação”, ou seja, o emprego combinado de palavras ou expressões que ficaram fixas com o passar do tempo e sempre utilizamos assim. Esse aspecto linguístico pode abranger, por exemplo, preposições (“sonhei com você” x I dreamt of you) ou locuções que já foram consolidadas, tais como “marido e mulher” (husband and wife) ou “achados e perdidos” (lost and found).

Dentre esses termos, vamos focar esse artigo no uso dos verbos “do” e “make”, que são sempre alvo de muitas dúvidas.

De modo geral, “make” significa: fazer, construir, criar, elaborar, compor, efetuar, preparar.

Por sua vez, “do” tem sentido de: fazer, executar, efetuar, trabalhar, acabar, pôr fim, interpretar, causar, render.

Podemos dizer que “do” tem a ver com exercício, trabalho, tarefa (do your job, do exercises), enquanto “make” é mais empregado no sentido físico de construir (make a building), preparar (make a cake) ou algo que possa se relacionar com a fala (make a call, make a request, make a comment). Entretanto, há várias exceções e o uso desses termos pode desafiar a nossa memória.

Sendo assim, preparei um pequeno quadro com as expressões mais comuns de “do” e “make” na área comercial. Mas é sempre bom lembrar que a prática da leitura irá lhe auxiliar a diferenciar e fixar esses termos.

 

MAKE DO
a complaint (fazer uma reclamação)

a comment (fazer um comentário)
a decision (tomar uma decisão)

a deal (fazer negócios/acordo)
a difference (fazer a diferença)
a fortune (fazer fortuna)
a mistake (errar)
profit (lucrar)
a request (fazer uma solicitação)
a suggestion (fazer uma sugestão)
a telephone call (fazer uma ligação)

an appointment (marcar um compromisso)
an excuse (dar uma desculpa)
an offer (fazer uma oferta)
payments (fazer pagamentos)

a job well done (um trabalho bem feito)
an experiment (fazer um experimento)
business (fazer negócios)
good/bad (fazer o bem/mal)calculations (fazer cálculos)

damage (causar dano)

exercises (fazer exercícios)

your job (fazer seu trabalho)
homework (fazer a lição de casa)
research (fazer pesquisa)
right/wrong (fazer certo ou errado)
a favor (fazer favor)
well (dar-se bem)
your best (fazer o melhor)
your part/share (fazer a sua parte)

E aí, como você “faz negócios”: “do business” ou “make a deal”?

Marcia Costa Bonanim
Professora Língua Inglesa Ensino Superior
Mestre em Linguística Aplicada ao
Ensino de Línguas–PUCSP
Ex-Secretária Executiva Bilíngue
E-mail: bonamin@uol.com.br

(Visited 4 times, 1 visits today)
%d blogueiros gostam disto: