Plano de Carreira Parte 2 | Simone Cunha | Executiva News | Secretariado

 

Estamos de volta com a segunda parte da nossa conversa sobre “planejamento de carreira no Secretariado Executivo”. Este artigo é a continuação da conversa que começamos na edição anterior da Revista e, caso você ainda não tenha lido, sugiro que veja.

Quando a Sandra me convidou para escrever para a revista, pensei que seria muito oportuno falar sobre planejamento de carreira. Eu tenho refletido muito sobre isso e acredito que o período em que estamos – o encerramento de um ano e início de um novo – nos remete a estabelecimento e revisão de metas e objetivos.

Pois bem, eu estive no COINS 2017 e adquiri o livro Framework do plano de carreira do profissional Secretário, cuja organizadora é a Ana Paula Marinho. E é com base nele, e em minhas experiências pessoais, que eu gostaria conversar com você sobre este tema.

No artigo anterior, conversamos sobre os dois primeiros pontos importantes para o planejamento de carreira. Para relembrar, aqui estão eles:1) a necessidade de me responsabilizar pelo meu plano de carreira e 2) a necessidade de criar um plano de carreira.

Continuando a nossa conversa, eu trago para você os próximos 2 pontos que são também essenciais para o planejamento de carreira no Secretariado Executivo:

 

1.Desenvolva as competências comportamentais estratégicas para a manutenção do plano de carreira

No blog Secretariado com Simone, eu tenho uma série de 30 artigos sobre transição de carreira, baseadas em minha experiência pessoal de mais de 10 anos como Assistente Executiva. Os 10 últimos artigos desta série foram dedicados a abordar dicas para uma boa manutenção de carreira. Sim, eu acredito que o esforço em prol da manutenção de uma carreira é parte essencial do planejamento da mesma.

A obra na qual eu me inspirei para escrever este artigo também considera este aspecto muito importante, e destaca diversas competências como necessárias para um plano de carreira bem-sucedido na área de Secretariado. Abaixo, eu trago os que me parecem mais importantes:

 

-Adaptar-se às transformações do mercado por meio do aperfeiçoamento contínuo, tanto técnico como educacional;

-Ter visão de mercado, conhecimento sobre as organizações, autoconhecimento e saber identificar as atividades que proporcionam maior realização e satisfação, tanto pessoal como profissional;

-Saber determinar prioridades;

  • Assumir responsabilidade pelo próprio desenvolvimento pessoal e profissional

-“Ser ético, profissional, proativo, ser criativo, saber trabalhar em equipe e em rede, dominar a tecnologia, administrar bem o tempo, ter visão sistêmica, resiliência, respeitar a diversidade, ser empreendedor”;

-Saber encontrar a sinergia entre os objetivos da empresa e os objetivos de carreira pessoais, de forma a potencializar as ferramentas e oportunidades que a empresa oferece para o bem do desenvolvimento de sua carreira.

 

Cabe a nós, profissionais Secretários, encontrar oportunidades para o desenvolvimento dessas competências e nos desafiarmos a cada dia, rumo à constante evolução pessoal e profissional que todo indivíduo deve buscar para alcançar a verdadeira realização e satisfação profissional.

Certamente desafios e adversidades não faltam em nossa rotina, logo, a cada dia se

apresentam diante de nós infinitas possibilidades de não apenas desenvolver, mas também aplicar, essas competências comportamentais estratégicas.

 

2.Quando é hora de mudar e como facilitar essa mudança

Os autores colocam um aspecto extremamente relevante no livro, que eu desejo destacar neste artigo, pois é um conceito no qual eu sempre acreditei:

O medo não deve ser o fator que nos mantém em uma empresa. É recomendável que o indivíduo permaneça em uma organização na medida em que se sente motivado pelo prazer e orgulho de participar dos resultados, pelo salário recebido, pelo enriquecimento intelectual, oportunidades de crescimento e carreira, autorrealização e contribuição pela causa da empresa.

Uma das conclusões do estudo realizado na obra afirma que, pelo fato de muitas empresas não terem plano de carreira, o profissional de Secretariado toma a decisão de buscar o crescimento que deseja em outra organização. Esta realidade reflete bem a minha trajetória profissional. Apesar de ter trabalhado em empresas que tinham plano de desenvolvimento e de carreira, todas as mudanças pelas quais eu passei ocorreram devido a uma decisão de avançar para o próximo passo do meu plano de carreira.

O estudo também conclui que as empresas têm um quadro bastante enxuto de Secretários, o que faz com que esta busca por crescimento em outras empresas seja muito recorrente. Ao mesmo tempo em que este movimento é algo natural dentro do contexto das organizações, é importante sempre lembrar que a evolução contínua do profissional de Secretariado é um diferencial competitivo que as organizações estão buscando, como os autores bem colocam no livro. Logo, se há a ambição de crescimento profissional, é inevitável que voltemos ao ponto inicial da nossa conversa – a necessidade de assumir a responsabilidade pelo nosso plano de carreira e investir em conhecimento. A este respeito, os autores da obra afirmam: É inútil pensar numa educação formal com término estabelecido. Não bastam cursos de segundo e terceiro graus para exercer competências, a função de Secretário exige aprimoramento permanente.

Para mim, este aprimoramento permanente por muito tempo foi o estudo de idiomas.

Atualmente tem sido o estudo do autoconhecimento, da criatividade, do empreendedorismo e do Secretariado. Eu acredito que, quanto maior é a nossa bagagem e quanto mais nos expomos a diferentes tipos de conhecimentos, maior é o nosso repertório e é aumentada a nossa capacidade de evoluir e de contribuir, não apenas com o nosso gestor, sua equipe e com a empresa, mas também com a profissão de Secretariado e, consequentemente, com a sociedade.

 

No processo de busca por nos tornarmos pessoas melhores, contribuímos inevitavelmente para um mundo melhor. Quanto mais estudamos, mais percebemos que temos muito a aprender, mais humildes nos tornamos, maior se torna o nosso campo de visão, nossa clareza a respeito de quem somos, de como podemos participar de forma genuína e qual direcionamento queremos dar à nossa carreira.

 

E eu gostaria de encerrar este artigo com uma colocação muito pertinente que está presente no livro: É preciso energia e comprometimento para se desenvolver.

Eu espero de verdade que estes artigos te motivem a refletir a respeito do seu planejamento de carreira e que te inspirem a ter uma postura ativa e comprometida com os resultados que você espera dela.

Grande abraço e feliz 2018 – com perspectiva, motivação e muita, muita energia de realização!

 

Simone Cunha Reis

Blog: www.secretariadocomsimone.com

Facebook: secretariadocomsimone

Instagram: secretariadocomsimone

LinkedIn: www.linkedin.com/in/simonereis

E-mail: contato@secretariadocomsimone.com

 

%d blogueiros gostam disto: