Plano de Carreira | Executiva News | 20ª Edição | Simone Reis

Plano de Carreira!

Pois é, 2017 já está indo embora e 2018 vem aí! Eu tenho a sensação de que o ano passou voando, você também? E, como todo fim de ano, somos levados a refletir sobre o que realizamos, quais objetivos foram cumpridos e estabelecer novas metas para o ano que se aproxima.

Eu confesso que este ano tem sido de muita reflexão para mim, inclusive sobre a minha carreira. Eu acredito que, independentemente da época do ano ou do dia da semana, sempre é momento de reavaliar nossas metas e objetivos, analisar se estamos ou não rumo ao sentido desejado e recalcular a rota, se necessário.

É por este motivo que, quer você esteja lendo este artigo no final de 2017 ou em qualquer outra época, sinta-se à vontade para prosseguir com a leitura, porque o conteúdo que estamos trazendo aqui é atemporal. 🙂

Eu tive a honra de participar do COINS 2017 e lá eu adquiri um livro que se chama “Framework do plano de carreira do profissional Secretário“, cuja organizadora é a Ana Paula Marinho. A leitura deste livro foi bastante leve e rápida. O mesmo tem uma linguagem bastante acadêmica, mas, ao mesmo tempo, é muito objetivo, claro e de fácil interpretação e aplicação para aqueles que desejam não apenas aprender, mas também fazer mais pelo planejamento de sua carreira.

Ler este livro me deu a confirmação de vários aspectos que eu aprendi durante a minha trajetória profissional, e eu gostaria de compartilhar com vocês alguns dos que foram para mim os principais insights dessa leitura, à medida que mesclo também com minhas experiências pessoais.

Ao longo da minha carreira, eu sempre estive em contato com profissionais Secretários em empresas privadas, cuja maior dor era a “ausência de um plano de carreira” dentro da organização. Pois bem, o livro corrobora que isso é um fato. Com base em pesquisas aplicadas para profissionais Secretários que atuam em empresas de diferentes segmentos no estado de São Paulo, os escritores chegaram à conclusão de que mais de 60% das organizações não possuem um plano de carreira. Esta informação está ao final do livro, mas eu decidi começar por ela, porque para este artigo eu gostaria de trabalhar sobre esta realidade como base para a nossa reflexão.

A seguir, algumas lições que esta realidade nos ensina. Vamos lá?

1. Responsabilize-se pelo seu plano de carreira

O fato é que nós, profissionais de Secretariado, precisamos estabelecer um plano de carreira individual, que independa da empresa onde estamos atuando no presente momento.

Durante a minha trajetória profissional, eu sempre tive claro onde eu queria chegar e o que eu precisava fazer para alcançar o meu objetivo. Mesmo que eu não usasse determinado idioma naquele emprego atual, eu seguia estudando, porque era parte do meu plano ser uma assistente trilíngue. Mesmo que não fosse exigido pela empresa o SRTE eu decidi ir atrás do registro, porque era parte do meu plano estar em conformidade com a regulamentação da profissão e também, claro, garantir a minha empregabilidade no futuro. Mesmo que eu estivesse feliz e bem remunerada em um posto de trabalho, eu optava por sair da minha zona de conforto para assumir uma posição em outra empresa ou departamento, em prol da ascensão da minha carreira.

Esses são exemplos pessoais, a sua história com certeza é diferente da minha, mas eu muito gentilmente gostaria de te convidar a refletir sobre o quanto você tem, ou não, tomado a frente dos rumos da sua carreira ou se você tem esperado que terceiros assumam essa responsabilidade, seja o seu gestor, a empresa onde você trabalha ou até mesmo o governo.

Importante ressaltar que, como os próprios autores mencionam no livro é necessário que o profissional Secretário esteja motivado para que seu plano de carreira seja claro e objetivo. Isso quer dizer que, dificilmente, conseguiremos fazer planos e vislumbrar um futuro profissional se não temos motivação para este movimento e todos os esforços que ele demanda. Quantos profissionais você e eu conhecemos que não evoluíram em sua carreira porque não tinham a motivação para tal, não se identificavam de fato com a profissão e, por este motivo, não se engajaram nela? Não é coincidência, é uma consequência natural.

2. Crie um plano de carreira

Se você deseja ter essa postura, minha contribuição para você é: crie um plano detalhado, tire as ideias da sua cabeça e coloque-as no papel. Elabore um documento que te responda as seguintes perguntas:

– O que eu quero alcançar?

– Por que?

– Qual o prazo para atingir a minha meta?

– Onde?

– Como eu vou fazer isso?

– Quanto de recursos financeiros, emocionais e de tempo eu estou disposta(o) a investir para atingir o meu objetivo?

É claro que cada etapa do seu plano de carreira terá respostas distintas para essas perguntas.

Por este motivo, é importante sempre voltar ao seu plano para reavaliá-lo e, se necessário, fazer ajustes. É um exercício contínuo. Algo muito importante que eu aprendi ao longo da minha trajetória profissional, e também planejando a minha carreira, é que não podemos controlar tudo.

Por este motivo, é essencial que o seu plano permita mudanças e adaptações. É essencial aprender a desenvolver uma visão de “designer da sua própria vida”, (lindamente abordada no livro “O design da sua vida”, dos autores Bill Burnett e Dave Evans), que nos possibilita encontrar oportunidades em meio aos obstáculos, na qual estamos sempre testando possibilidades e desenhando a nossa trajetória, que nunca está acabada.

Deixo você com essas duas primeiras reflexões e a lição de casa de fazer este mapa. ;).

No próximo artigo, daremos seguimento a este tema, conversando sobre competências comportamentais e mudanças estratégicas para um bom planejamento de carreira no Secretariado Executivo. Obrigada pela leitura!

Grande abraço e até breve!

Simone Cunha Reis

Blog: www.secretariadocomsimone.com

Facebook: secretariadocomsimone

Instagram: secretariadocomsimone

LinkedIn: www.linkedin.com/in/simonereis

E-mail: contato@secretariadocomsimone.com

 

%d blogueiros gostam disto: