O caminho para a autossuficiência | Claudia Schaffer | Executiva News | Secretariado

 

Os grupos de autossuficiência podem ajudar a melhorar suas finanças pessoais, seu emprego, seu pequeno negócio ou seus estudos. Existem grupos com o conteúdo adequado para diferentes circunstâncias.

 

Outro dia li um texto muito bem escrito onde o relator mencionava autossuficiência em um contexto COMPLETAMENTE diferente do que vou abordar hoje – lá, era interpretado como um tipo de arrogância e prepotência.

 

Em qual contexto abordarei o assunto e o que significa ser autossuficiente?

 

Quando somos autossuficientes, usamos e descobrimos habilidades para cuidar de nós mesmos e de nossa família e encontrar soluções para nossos próprios problemas sem responsabilizar outras pessoas.

Quando nos tornarmos autossuficientes, também somos capazes de servir aos outros, cuidar deles e suportar os períodos de adversidade. É uma preparação. Minha busca por autossuficiência é espiritual e material.

 

Qual o caminho?

Recentemente fui convidada para ser a facilitadora de um grupo em um programa de autossuficiência pela LDS Church. Reunimos-nos uma vez por semana por um período de 12 semanas consecutivas e hoje compartilharei com vocês um pouco dessa valiosa experiência.

Os cursos são totalmente gratuitos e todos os interessados podem participar. Como tudo realizado por lá, meu trabalho como facilitadora foi um ato voluntário. Ao término do curso, os participantes recebem um certificado do <i>“LDS Business College”.

Durante os encontros, aprendemos muito e trocamos experiências. De forma muito resumida, vou relatar alguns princípios que conhecemos ou aprimoramos.

O nome do curso para o qual fui designada para ser facilitadora é: Educação para Um Emprego Melhor.

Primeira etapa do encontro – composição das atividades:

-Para o tema que me foi designado, usamos 2 manuais.

-Em cada encontro, abordamos diferentes lições e atividades.

-Faixa etária dos participantes: a partir dos 16 anos.

-Trabalhamos e tomamos todas as decisões em grupo.

-Somos instruídos a estudar diligentemente os princípios e ensiná-los a nossos familiares.

 

Como funcionam as reuniões?

Antes de cada encontro e também durante a semana, cabe ao facilitador interagir com o grupo, incentivando-os a praticar o que aprenderam, concluir as atividades e auxiliá-los no cumprimento das metas, preparar materiais de apoio e conduzir o grupo. Os facilitadores seguem alguns passos antes das reuniões, durante cada reunião e depois.

O papel do facilitador é ajudar cada pessoa a sentir-se à vontade para compartilhar ideias, sucessos e fracassos.

Para melhor aproveitamento do tempo, as aditividades são cronometradas. Cada encontro é composto por duas horas de duração.

A cada encontro, estudamos um assunto diferente relacionado ao tema do curso, porém, em todas as aulas as sessões (do manual) mencionadas abaixo, devem ser concluídas:

 

-APRENDER

-PONDERAR

-PARCEIRO DE AÇÃO

-RELATAR

-COMPROMETER-SE

-AGIR

-RECURSOS

 

Vejam abaixo o título de cada assunto abordado nos 12 encontros do grupo. Na sequência, farei um breve resumo do primeiro tema/encontro.

 

  1. Que tipo de trabalho me ajudará a tornar-me autossuficiente?
  2. Preparar-se para o Sucesso
  3. Entender o Mercado de Trabalho
  4. Avaliar suas Opções de Treinamento
  5. Escolher um Programa de Estudo
  6. Pagar Seus Estudos
  7. Apresentar Seu Plano
  8. Criar um Ambiente para o Sucesso
  9. Entender as Expectativas
  10. Aprimorar as Habilidades de Estudo
  11. Manter o Foco
  12. Preparar-se para o Trabalho
  13. Carta de Conclusão

Somos instruídos a avaliar os próprios esforços para cumprir os compromissos feitos a cada semana e compartilhar os resultados com seu parceiro de ação (a cada semana escolhemos um parceiro de ação e nos comprometemos a relatar nosso progresso com ele). Estudamos maneiras para continuar o desenvolvimento ao praticar a formação desses importantes hábitos.

 

Não farei detalhamento de cada tema, portanto, selecionei o primeiro:

 

 

  • Que tipo de trabalho me ajudará a tornar-me autossuficiente?

 

Por meio de discussão em grupo, no primeiro encontro provocamos questionamentos e procuramos respostas para a pergunta: Que tipo de trabalho ajudará cada um a tornar-se autossuficiente?

Como o treinamento e a instrução ampliam nossas habilidades e abrem as portas da oportunidade para nós?

Diante da escolha do trabalho, decidimos sobre a educação que precisamos e os meios e recursos que dispomos para alcançá-la.

O objetivo de estudar é conseguir um bom emprego. Durante as primeiras seis semanas, aprendemos sobre educação. Nas semanas de 7-12, aprendemos sobre como encontrar um bom emprego e ser bem-sucedido nele. No grupo, encontramos pessoas em diferentes situações, como empregados, desempregados e estudantes.

A prática aqui consiste em apresentar-se, falar sobre a família, realizações e habilidades – sempre interagindo com os participantes. É comum surgirem dúvidas e perguntas nessa etapa, e usamos um tempo para interagir e responder aos questionamentos.

Decidimos também o nome do grupo e ponderamos sobre a escolha do trabalho futuro.

Estudamos a pergunta chave da semana e qual será nossa ação sobre ela.

PERGUNTA DA SEMANA – Que tipo de trabalho vai me ajudar a ser autossuficiente?

AÇÃO DA SEMANA – Explorar minhas futuras opções de trabalho, aprender sobre empregos com outras pessoas e preparar um plano profissional. Definir o valor da renda mensal e que trabalho proverá este valor.

Temos uma lista de empregos preferenciais que estão em alta demanda. Essa lista é distribuída pelo facilitador no primeiro encontro e, juntos, fazemos uma atividade que compõe na análise da lista e resposta para as seguintes perguntas:

 

-Que empregos chamaram sua atenção? Algum deles parece combinar com seus pontos fortes ou experiência?

-Que empregos pagam melhor?

-Quais requerem mais estudo?

-Como essa lista pode ajudá-lo?

 

Quando temos uma ideia de quais empregos proverão nossa necessidade de renda e quais estão em alta demanda, precisamos fazer uma escolha. Um <somente aspas>‘’plano profissional’’ nos ajudará a decidir nosso futuro emprego ou negócio.

Montamos um plano profissional e pensamos em pessoas experientes que possam nos auxiliar nessa atividade e, durante a semana, comprometemos-nos a falar com essas pessoas. Na semana seguinte, relatamos nossa experiência para o grupo. A atividade tem como objetivo saber o tipo de trabalho que nos fará autossuficientes.

 

A educação é uma ponte para a autossuficiência.

Pode haver uma lacuna entre nosso nível de autossuficiência agora e o que queremos atingir. Essa lacuna pode ser grande ou pequena, mas que deve deixar de existir. A instrução e o treinamento podem nos ajudar a eliminar essa lacuna. A instrução e o treinamento nos levam a um emprego melhor, a uma renda maior e a um aumento da autossuficiência.

Ao continuar a progredir em nossa busca por autossuficiência, podemos cruzar a ponte para nos manter atualizados em nossa área, aprimorar habilidades ou mudar de emprego ou de carreira.

 

Saber quanto você precisa para se tornar autossuficiente.

Autossuficiência é a capacidade, o compromisso e o esforço de satisfazer as necessidades espirituais e materiais da vida para si próprio e a família. Um dos primeiros passos no caminho para a educação é determinar de qual renda precisamos para ser autossuficientes. Assim que soubermos de qual renda precisamos, podemos começar a pesquisar empregos em potencial e a necessidade de treinamento. Para ajudar a saber de qual renda precisamos, anotamos nossa renda atual e despesas diárias em um caderno. Ao final de cada semana, somamos os números e registramos o total no Registro de Rendimentos e Despesas no manual. Usamos o registro nas próximas semanas. Essa informação ajuda a escolher uma trajetória de emprego e treinamento adequados.

 

Começar o plano para a autossuficiência.

Nas semanas seguintes, desenvolvemos um plano de autossuficiência. Começamos o plano iniciando com uma meta de autossuficiência. Por exemplo, um participante escreveu: “Eu conseguirei um emprego que paga 3 mil a mais do que eu ganho agora, assim, poderei prover para minha família e poupar para as emergências”.

Toda semana fazemos compromissos. Quando nos reunimos na próxima semana, iniciamos relatando nossos compromissos. Lemos em voz alta cada compromisso para o parceiro de ação. Comprometemo-nos a cumprir os compromissos e depois assinamos o formulário.

Aprender sobre os itens a seguir e como cada um deles ajudará a olhar para frente e enxergar as oportunidades de emprego.

  1. Tomar decisões.
  2. As empresas contratam pessoas que agregam valor.
  3. Saber o que você pode oferecer aos empregadores.
  4. Saber com quem falar.
  5. Atualizar seu plano para a autossuficiência.

Nem sempre sabemos o que será melhor agora, mas precisamos dar o próximo passo e, depois, o próximo. Continuar em frente. Buscar informações, ponderar, mas não pensar demais e acabar ficando paralisado pela indecisão.

 

As empresas contratam pessoas que agregam valor.

Nada na vida nos leva ao sucesso sem esforço. As empresas contratam pessoas para ajudá-las a ganhar dinheiro e solucionar problemas. Elas não contratam pessoas apenas para que os funcionários possam ganhar dinheiro. Se você é bom em algo, as empresas vão querer contratá-lo e pagar por seu trabalho. A educação e o treinamento podem ajudá-lo a ganhar habilidades e a especialização úteis a uma empresa, o que resultará em um emprego melhor.

 

Saber o que você pode oferecer aos empregadores.

Uma vez que os empregadores estão procurando pessoas úteis às suas empresas, é importante que você saiba o que tem a oferecer-lhes. Você é bom em fazer alguma coisa? O quê? Em que você pode se tornar um especialista?

Basicamente, estes são os principais pontos que vimos no primeiro encontro.

Meu desejo e objetivo é que tenham compreendido a importância da busca pela autossuficiência na caminhada pela vida. A independência financeira, emocional e espiritual é um caminho que precisamos percorrer para ser bem-sucedidos e ter mais alegria, satisfação, paz e progresso.

 

“Adapte-se ao seu trabalho. Devemos estar dispostos a aprender habilidades novas, úteis ao mercado de trabalho. Há muitas pessoas que encontraram alegria e satisfação em ter uma segunda profissão totalmente diferente do trabalho em que foram originalmente treinados. Ser flexível em nossa busca por oportunidade de emprego pode tornar possível nos mantermos financeiramente à tona” (James E. Faust)

 

Se você se interessou pelo assunto e deseja saber mais, estou à disposição.

 

Claudia Schaffer

Secretária Executiva da Presidência

Formada em Secretariado Executivo Bilíngue

in/claudiaschaffer

39 anos, mãe, casada

Cel.: (11) 9-8239-4135

E-mail: claudia.schaffer35@gmail.co

 

 

%d blogueiros gostam disto: