Pin It

A ESCRITA DAS PALAVRAS | O Novo Acordo Ortográfico | O Português do Brasil

A ESCRITA DAS PALAVRAS | O Novo Acordo Ortográfico | O Português do Brasil

RESUMO

A proposta deste artigo é relembrar o período da implantação do novo Acordo Ortográfico Brasileiro, este muito rejeitado pelos docentes e profissionais da educação na época de transição. Porém aceitável em determinadas situações encontradas em sua gramática, após análise e treinamentos, mas muito criticada. Colocando como paralelo o Português Brasileiro de forma a estimular discussões e criar ideias para melhoria metodológica na disciplina Português se divide em diversas vertentes. Espera-se um padrão lógico do ensino Português do Brasil que não mantenham o arcadismo inutilizável, mas transforme de modo que seja totalmente utilizável em todo o ciclo do ensino.

INTRODUÇÃO

Em 1º de janeiro de 2016, foi oficializado em oito países o novo Acordo Ortográfico. A Língua Portuguesa, por sua vez muito criticada pela sua gramática extensiva, tornou-se vantajosa à unificação de um padrão nacional da escrita portuguesa.

O novo Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa foi assinado por Lisboa em 16 de dezembro de 1990, por Portugal, Brasil, Angola, São Tomé e Príncipe, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique e, posteriormente, por Timor Leste.

No Brasil, o Acordo foi aprovado pelo Decreto Legislativo nº 54 de 18 de abril de 1995.

Exemplos de algumas mudanças:

No alfabeto foram reintroduzida as letras k, w e y, passando a ter 26 letras, sendo usadas em várias situações. Ex.: Unidade de Medida: km (quilometro), kg (quilograma), w (watt). Palavras escritas de nomes estrangeiros. Ex.: Show, Playboy, Playground, Windsurf, Kung fu, Yin, Yang, William, Kaiser, Kafka, Kafkiano.

Não se usa mais o trema (¨), sinal colocado sobre a letra u para indicar que ela deve ser pronunciada nos grupos gue, gui, que, qui, permanecendo apenas em palavras estrangeiras e em suas derivadas.

Antes do acordo Depois do acordo

Agüentar Aguentar

Argüir Arguir

Bilíngüe Bilíngue

Tranqüilo Tranquilo

Não se usa mais o acento das palavras terminadas em êem e ôo(s).

Antes do acordo Depois do acordo

Abençôo Abençoo

Enjôo Enjoo

Lêem (verbo ler) Leem

Zôo Zoo

Vôos Voos

Crêem (verbo crer) Creem

Não se usa mais o acento agudo no u tônico das formas tu arguis, ele argui, eles arguem, do presente do indicativo dos verbos arguir e redarguir.

Acentuação > (pára) verbo (para) preposição: Ex.: Trânsito pára tal lugar. | Trânsito para tal lugar. Tudo pára fulano. | Tudo para fulano.

Obrigatoriedade do uso do acento circunflexo na sílaba fechada de fôrma para clareza e precisão.

Ex.: Veja a fôrma daquela forma. | Veja a forma daquela fôrma.

Após relembrar algumas pequenas e poucas situações de inúmeras mudanças que ocorreram em nossa ortografia, existem outros meios para simplificar a escrita portuguesa e que ajudaram a reduzir a alfabetização, reduzindo o tempo que os professores gastam tentando que explicar a nossa gramática exaustiva, extensa e que poucas coisas são utilizadas.

Primeiramente, a escrita e leitura em sala de aula poderia ser um processo de aprendizagem unificado ao lermos sobre a origem de certas palavras existentes em nossa Língua Portuguesa, aprende-se a maneira correta e o motivo disso ser escrito de tal forma.

A Língua Portuguesa é originada do Latim, que possui palavras constantes em nossa escrita e leitura. A extinção do ensino do Latim nas escolas prejudicou muitos no aprendizado da Língua Portuguesa.

Atualmente lidamos com o estrangeirismo em nossa escrita, fala, leitura ou qualquer outro meio de comunicação. Palavras de outros países foram popularizadas e atreladas no dia a dia do brasileiro, muitas delas com a ajuda da mídia, tecnologia ou através do próprio mercado de consumo que fornecem produtos estrangeiros. Ex.: Home Theater, Playland, Bluetooth Facebook , Notebook , Blackberry, Hambúrguer, entre outros.

Estamos em constante evolução, mas não podemos perder nossas origens.

O professor Ernani Pimentel expôs algumas ideias de melhoria referente à Língua Portuguesa, onde incentiva que os docentes e discentes entrassem no site www.simplificandoaortografia.com e discutissem, sugerissem ou definissem formas de mudanças que facilitassem o entendimento do idioma Português Brasileiro. Esse espaço ficou aberto à discussão até o final de junho de 2014.

Assim como o Professor Ernani, houve outros meios de manifestações sobre a nova ortografia, porém, ela permanece ativa até hoje. Para todos os efeitos, sugiro entrar no site citado e verificar informações atuais. Muitas são as lutas para melhorar o ensino em escolas brasileiras, poucas são as vitórias, mas significativas e marcantes são as tentativas de mudança.

Tendo em vista os fatos mencionados, é de grande importância expor a realidade referente ao idioma Português Brasileiro. O ensino do Português no Brasil se divide em Literatura, Linguística, Gramática, Redação, LPT-Leitura e Produção de Textos. Poucas escolas têm como metodologia de ensino que referenciam a Literatura e a Linguística. O que é mais visto em aulas na disciplina Português do ensino médio são Gramática e Redação. Em cursos técnicos, a disciplina Português geralmente é dividida em Gramática e LPT. No ensino universitário, a depender da área de formação, divide-se em Linguística, Literatura e Gramática.

A divisão não é o grande problema, se comparado ao conteúdo de cada vertente da disciplina Português. A questão é: a gramática é muito extensa, poucas coisas são compreendidas, muitas delas não são utilizadas, assim como as demais divisões. É de grande importância que o Português seja padronizado e adequado à nossa realidade, não retirando os padrões da norma culta padrão nem a sua essência que vem do Latim, mas incluindo de forma compreensiva e lógica, excluindo o que não é mais utilizado e aplicando métodos de renovação e praticidades.

REFERÊNCIAS

PIMENTEL, Ernani. Revista Língua Portuguesa. N° 104. Junho/2014. Ano 09. Págs. 38 e 39. www.revistalingua.com.br.

TUFANO, Douglas. Guia Prático da Nova Ortografia Brasileira.

Ingrid Miranda Rabêlo

MBA em Administração e

Negócios Internacionais–UNINTER

Bacharel em Secretariado Executivo–UCSal

Colaboradora em Artigos e

Textos da Executiva News Revista Digital

Cel.: (71) 9-8629-2113

(Salvador-BA)

E-mail: ingridhrabelo@gmail.com

Revista Digital: http://executivanewsrevistadigital.com/

(Visited 41 times, 1 visits today)
%d blogueiros gostam disto: