Pin It

Entrevista Moacir Rauber | Secretariado Executivo |

Que alegria!

É assim que começo essa entrevista, em nossa primeira capa com um Secretário homem, alguém especial e cheio de conteúdo para compartilhar.

Conheci o Moacir nas redes sociais. Já tinha ouvido falar sobre ele e lido diversos textos seus.

Mas tive a oportunidade de passar 03 dias no Rio de Janeiro, no evento FISEC Rio 2017, promovido pela Pepita Soler, e lá tive a honra de conhecer pessoalmente o Moacir e ter muitas conversas com ele.

Descobri a pessoa maravilhosa, cheia de vida, entusiasmo e de alegria que ele é.

Sua palestra foi sensacional e eu fiquei sua fã número 1.

Então, com vocês…

Moacir Jorge Rauber

Executiva News RD – Fale-me um pouco sobre a sua carreira.

Moacir Rauber – Comecei minha vida profissional como Técnico Contábil e logo migrei para a área empresarial. Criei a minha própria empresa. Atuei como empresário durante mais de dez anos e, paralelamente, concluí minha graduação em Secretariado Executivo. Alguns anos após a conclusão do curso e com uma pós e um mestrado, passei a atuar como Professor e Coordenador de Curso de Secretariado. Trazia para dentro da sala de aula a visão da necessidade de quem é o gestor para poder passar para os alunos aquilo que seria esperado deles no momento em que eles passariam a exercer a profissão. Mais tarde, vendi as empresas que tinha e atuei como Secretário Executivo num projeto de Eficiência Energética, finalmente atendendo às demandas de um Diretor que coordenava o projeto. Atualmente trabalho como Coach, Palestrante e Escritor. Estou num momento bem feliz, porque concluí um doutorado em Ciências Empresariais em Portugal.

Executiva News RD – Você é formado em Secretariado Executivo. Como é ser um profissional da área?

Moacir Rauber – Sempre conto uma situação que exemplifica bem como é ser um homem profissional da área. Alguns anos depois de ter concluído a graduação, fui fazer um Mestrado em Engenharia da Produção com ênfase em Qualidade com a proposta de se estudar os processos de produção. O ciclo completo de desenvolvimento de um produto. As estratégias de criação, de lançamento, administração de custos, fluxogramas, processos, passando pela avaliação da qualidade de produção e terminando com os serviços de pós-venda. No primeiro dia de aulas, como de praxe, um dos Professores começou com as apresentações. Era um grupo de cerca de quinze pessoas que haviam sido selecionadas entre um grande número de candidatos para aquelas poucas vagas. Apresenta-se um, apresenta-se outro. A turma era bastante heterogênea e contava com Engenheiros, Economistas, Contadores e Administradores. Tudo na maior normalidade. Quando finalmente eu me apresentei como formado em Secretariado Executivo, parece que o tempo parou. O ambiente congelou. As cabeças se moveram para olhar em minha direção como que indagando, “Secretariado Executivo… Mas o que você está fazendo aqui? Isso é um curso universitário? Para um homem?”. Nesse momento, o Professor também parou e logo falou:

“- Um excelente curso! Creio que os demais cursos deveriam adotar o conceito por detrás da formação da grade curricular do Secretariado. Não se perde de foco a especialização, mas amplia-se a visão para poder entender o todo… A visão sistêmica está na sua grade de disciplinas…”.

Particularmente, acredito que ser um profissional de Secretariado tem em sua origem o desenvolvimento da capacidade de se entender que cada ser humano é um sistema completo, complexo e interdependente com outros seres humanos que se encontram nas organizações que se formam como sistemas completos, complexos e interdependentes e que integram e são integrados por outros sistemas. Ser um profissional de Secretariado em sua plenitude nos cobra a competência de entendimento de uma realidade ampliada para poder exercer com excelência as competências de articulação, operacionalização, liderança, execução de atividades, entre outras. É importante entender não somente as partes, mas sim o todo.

Executiva News RD – O profissional que exerce a função secretarial pode se destacar dentro das empresas?

Moacir Rauber – Pode e vai se destacar se ele souber exercer o seu papel com excelência. Não digo que seja fácil ser um protagonista coadjuvante, como disse o Eugênio Mussak, mas é fundamental assumir o controle da própria função. É preciso inteligência para atuar nos bastidores para que o desempenho do Diretor seja melhor sem ser a estrela da cena. Destaco que, contudo, é preciso saber se fazer notar para também ser valorizado e reconhecido por isso. Sabe-se muito bem que, quando tudo corre bem na organização, os louros são do Diretor e que, quando algo não sai tão bem, o primeiro que recebe os respingos de uma situação não favorável tende a ser o Secretário. Por isso, o Secretário deve desenvolver grande habilidade de comunicação, de articulação e de relacionamentos para que possa também ser efetivamente reconhecido pela sua participação, ainda que nos bastidores. Além disso, o Secretário Executivo deve ter uma grande capacidade de inteligência emocional para si mesmo e também para dar o suporte necessário ao Diretor nos momentos difíceis. Aqui entra aquilo que denomino de Intrassecretariar-se. É a competência de alimentar internamente as capacidades que também nos são exigidas externamente para poder ter uma atuação profissional convergente e coerente.

Executiva News RD – O Secretário cogestor parece ser a cada dia uma nova realidade. Como você vê isso?

Moacir Rauber – Creio ser uma tendência não somente na área de atuação do profissional de Secretariado. Por isso, mais do que nunca, cabe a cada um assumir as responsabilidades sobre o protagonismo de sua atuação. Isso quer dizer que deter as competências e exercê-las é que farão que cada Secretário Executivo seja parte fundamental de uma equipe que cada vez mais tende a ser cogerida. Estamos todos interligados e somos interdependentes. Nós somente nos realizamos com a presença e a participação do outro. Não somos ilhas.

Executiva News RD – Muito está se falando sobre Inteligência Artificial e a extinção de várias funções e profissões. Qual é a sua avaliação desta realidade?

Moacir Rauber – A evolução tecnológica e inevitável e não cabe a nós sermos contra ou favor. Ela vai acontecer com a nossa concordância ou não. Cabe a cada um usar a tecnologia para aquilo que ela se propõe. Entendo que podemos usá-la para nos aproximar de quem está longe e que devemos ter discernimento o suficiente para não utilizá-la de forma a nos isolar de quem está próximo. E, no mercado de trabalho, acredito que a presença de IA seja um ganho para todos nós, porque o seu uso depende de escolhas que cada um pode fazer. Para o bem ou para o mal? Depende do usuário. Sobre a extinção de funções, acredito sim que elas vão ocorrer em função da IA, assim como tem ocorrido ao longo da história da humanidade. A roda eliminou funções. O domínio do fogo eliminou funções. A produção de ferro eliminou funções. A invenção do telefone eliminou funções. Toda nova tecnologia elimina funções, mas surgem outras. Desse modo, entendo que, para o ser humano competente, sempre haverá lugar – porque as tecnologias só fazem sentido em função do ser humano. Não existe nada fora da natureza que não seja feito pelas pessoas e para as pessoas, inclusive a IA.

 

Executiva News RD – Seu CV é extenso, e você me parece ser uma pessoa cheia de vontade de aprender. Estamos em uma era de conteúdo rápido e duvidoso. Como saber o que realmente interessa e o que não interessa? Como você faz para filtrar essas informações?

Moacir Rauber – Sou curioso, porque a curiosidade nos leva a ter novas experiências. Para mim, experimentar é parte da essência da vida. Para experimentar é preciso aprender. Para aprender é preciso ser curioso. Às vezes, é preciso desaprender para aprender algo novo. Assim, entendo que a aprendizagem é uma forma de aumentar a própria expectativa de vida pela possiblidade de intensificar as experiências. E como fazer para escolher entre a imensidão de oportunidades? Acredito que as escolhas devem fazer sentido para aquele que vai aprender. Se não fizer sentido, para que aprender?

Executiva News RD – Você tem formação como Coach. Qual é a relação de sucesso de um profissional que possui o treinamento de coaching e o que não possui? Como isso pode interferir positivamente na carreira?

Moacir Rauber – Entendo que a formação em coaching não traz nenhum conhecimento novo. Entretanto, ela oferece uma nova abordagem sobre o conhecimento. O coaching faz com que a pessoa se volte sobre o único lugar que se tem pleno domínio e onde nós muitas vezes menos atuamos: cada um em si mesmo. As respostas não estão lá fora. O ambiente externo é igual para todos. O único lugar em que as pessoas se diferenciam é dentro de cada um. Como cada um olha para fora é que dá perspectivas diferentes. Dessa maneira, o coaching como processo pode fazer com que a pessoa dedique um tempo para si mesmo, contribuindo para que se identifiquem as metas pessoais e profissionais e que se construam caminhos até elas. A formação em coaching faz com que cada um possa se beneficiar do autocoaching para melhorar o desempenho próprio e o conhecimento necessário para que as pessoas à sua volta também atinjam melhores índices de desempenho. Muitas pessoas têm ido para lugares que não querem ir porque não assumiram o controle da própria vida e da carreira profissional. Assim, acredito que o coaching é uma forma de fazer com que cada um assuma o protagonismo da vida pelas escolhas conscientes que levam a pessoa para onde ela realmente se quer ir. Essa percepção, para mim, é a grande diferença para com as demais pessoas.

Executiva News RD – Qual é a principal característica de um profissional de sucesso?

Moacir Rauber – Conseguir identificar o seu papel na função que exerce dando sentido àquilo que faz. Entendo que muito mais importante do que ser um profissional de sucesso é que seja uma pessoa bem-sucedida. Nem sempre quem tem sucesso é bem-sucedido, mas quem é bem-sucedido sempre é um sucesso, principalmente porque determina o que realmente importa para ele.

Executiva News RD – Como você começou a escrever? Fale-me sobre sua experiência como autor.

Moacir Rauber – Sempre gostei de ler e de escrever, desde a minha infância. Classifico a leitura e a escrita como esportes mentais. Sempre que consigo escrever uma história ou construir uma frase que faça sentido para mim e para outras pessoas, realizo-me de maneira similar a fazer um gol. Desde que me lembro, escrevo. Primeiro foram cartas. Depois crônicas. Também contos e, por último, livros. Também mantenho o blog “FACETAS! Somos únicos. Somos múltiplos” (www.facetas.com.br) desde 2007, onde registro as ideias que me ocorrem em seu formato original. Alguns textos publicados no blog estão presentes nos quatro livros publicados. Outros textos estarão nas próximas produções. E assim segue.

Executiva News RD – Qual é a sua principal inspiração para escrever?

Moacir Rauber – O cotidiano. A experiência. Uma frase. Uma cena. As histórias. Acredito que todos nós somos feitos de história e cada história vivida em sua plenitude vale a pena ser contada. Porém, quem determina se ela valerá a pena ser contada ou não é quem viveu a história. Sempre pergunto: a sua história vale a pena ser contada? Não quer dizer que cada história tenha que virar um filme ou um livro, mas quem a viveu deve ter a convicção de que ela foi vivida em sua plenitude. Tenho a certeza de quem vive a sua história em plenitude também é um profissional bem-sucedido e de sucesso.

  

Executiva News RD – Motivação parece ser um dos temas que você mais gosta de falar e escrever. Por que esse tema gera tanto interesse?

Moacir Rauber – Muito simples. Porque acredito que a motivação para viver intensamente e plenamente como pessoa e como profissional é o mínimo que nós nos devemos pelo privilégio da vida que temos.

Executiva News RD – Tive a oportunidade de ver suas palestras, e você tem total domínio sobre o palco e sobre seus temas. Como é para você palestrar?

Moacir Rauber – Para mim é um momento de reflexão. Não tenho a pretensão de dar conselhos, de ensinar ou de ser um exemplo. Embora tenha a consciência de que ensinar nós ensinamos sempre. Ensinamos com nossas atitudes, comportamentos e com nossas ações ou mesmo com a falta delas. Por isso, ensinar não é opção. A opção está no aprender. Cada um pode escolher o que vai aprender. Assim, numa palestra o objetivo é a exposição de fatos e de situações que possam repercutir internamente, fazendo com que cada um se escute e se mova na direção pretendida. Inclusive eu mesmo.

  

Executiva News RD – Conversando com você no FISEC Rio 2017, descobri que já foi atleta paraolímpico. Fale-me sobre essa experiência.

Moacir Rauber – Foi a realização de um sonho. Assim como gosto de ler e de escrever, gosto de esportes. Gosto da atividade física, porque ela também envolve a determinação mental. E o esporte de alto rendimento traz isso em sua essência. No esporte, a disciplina e a liberdade caminham lado a lado, porque a disciplina não é algo rígido ou inflexível. Pelo contrário. A disciplina de dominar a mente é a liberdade de se pensar o que se quer e de se beneficiar da liberdade dos atos conscientes. Assim, remar e representar o Brasil em três campeonatos mundiais, sendo o primeiro atleta de remo paraolímpico do Brasil é motivo de orgulho. Foi essa disciplina que me permitiu carregar a bandeira brasileira na abertura de um campeonato mundial com a presença de mais de oitenta países. Realizar um sonho não tem preço.

Executiva News RD – Você tem um novo projeto, livro, tema de palestra? Fale-me sobre seus projetos para 2018.

Moacir Rauber – Sim, são vários projetos diferentes.

Para a área de Secretariado, a pretensão é desenvolver algumas ferramentas para o desenvolvimento pessoal que deve se concretizar numa sequência do livro “Perguntar não ofende”.

Também já tenho concluído um livro chamado “No reino de logo ali ao lado” em formato de fábula às avessas. A fábula se desenvolve num reino fictício onde sete habitantes com características e personalidades muito diferentes resolvem viver num casarão para se proteger dos demais habitantes do reino. O enredo leva o leitor a uma viagem para “O Reino de Logo Ali ao Lado” em que o pior pode acontecer. Ou não…

Tem mais um livro de desenvolvimento pessoal que está em fase de conclusão, “Frente a um dilema qual é o seu lema?”. São histórias que têm como objetivo a que cada um identifique o seu propósito de vida, a sua visão e os seus valores. Isso porque as organizações já o fizeram, porém, as pessoas ainda não. São muitas as pessoas que, quando confrontadas com a pergunta “Qual é o seu propósito de vida?”, simplesmente não sabem. Você, leitor, sabe?

E ainda tem o programa denominado “Reencontro com o AFETO: o despertar da unidade”, que será realizado em formato de curso de imersão para explorar quatro dimensões: EU ESTOU, EU SOU, EU CRIO e EU MANIFESTO. Serão usadas técnicas de coaching e de mindfulness. Nele se explorará a crença de que Eu AFETO o mundo. O mundo me AFETA. Com AFETO o mundo será melhor.

Enfim, são muitas ideias. É muito prazeroso criar coisas novas e poder compartilhá-las com os outros. Ao compartilhar, o retorno sempre é maior do que aquilo que se dá.

Executiva News RD – Por favor, deixe sua mensagem.

Moacir Rauber – Viva na plenitude. Seja bem-sucedido. Compartilhe. Para isso:

Dispa-se de medos e se vista de coragem.

Dispa-se de preconceitos e se vista de tolerância.

Dispa-se de julgamentos e se vista de respeito.

Dispa-se de desconfianças e se vista de confiança.

Dispa-se da tristeza e se vista de alegria.

Dispa-se de mágoas e se vista de paz.

Dispa-se de ressentimentos e se vista de tranquilidade.

Dispa-se da impaciência e se vista de paciência.

Dispa-se da animosidade e se vista de amabilidade.

Dispa-se da maldade e se vista da bondade.

Dispa-se da infidelidade e se vista de fidelidade.

Dispa-se da volubilidade e se vista do domínio próprio.

Dispa-se do desamor e se vista de amor.

Seja FELIZ!

Moacir Rauber

Skype: mjrauber

E-mail: mjrauber@gmail.com

Blog: www.facetas.com.br

Páginas: www.olhemaisumavez.com.br

MOACIR RAUBER acredita que tem “MUITAS RAZÕES PARA VIVER BEM!” porque “MOTIVAÇÃO É UMA OPÇÃO”. Também considera que a “DISCIPLINA É A LIBERDADE” que lhe permite fazer escolhas conscientes, levando-o a viver de forma a “FAZER TUDO QUE POSSA COMPARTILHAR COM OS PAIS E QUE TENHA ORGULHO DE CONTAR PARA OS FILHOS”.

É Bacharel em Secretariado Executivo, fez MBA em Marketing, tem mestrados em Gestão de Recursos Humanos pela UMinho-Portugal e em Engenharia de Produção pela UFSC e doutorado em Ciências Empresariais também pela UMinho, além de larga formação complementar.

Tem formação internacional em Coaching Executivo Organizacional reconhecido pela FIACE e pela ICC.

Tem experiência profissional nas áreas Administrativa, Secretariado, Gestão de Recursos Humanos, Vendas e Planejamento Estratégico. Também foi Professor Universitário no Paraná e em Santa Catarina e atualmente trabalha como Coach, Palestrante e Escritor.

Foi Remador da Seleção Brasileira entre os anos de 2004 e 2008 e ainda hoje segue praticando o remo como lazer. Também faz trabalhos voluntários em instituições que desenvolvem projetos de inclusão social.

Autor dos Livros:

*Olhe mais uma vez! Em cada situação novas oportunidades (2010).

*Perguntar não ofende… Uma abordagem de coaching para o profissional de Secretariado (2013).

*Superação, a marca do Ser Humano! (2013).

*Ladrão de si mesmo (2016).

*No reino de logo ali ao lado (2017, in-press).

*Para onde olhar? Seja InPrendedor, liberte o Empreendedor! (2018).

 

Sandra Tarallo e Equipe Executiva News

 

(Visited 60 times, 1 visits today)
%d blogueiros gostam disto: